Dessensibilização  – o método para alergia

Dessensibilização  – o método para alergia

Falta do contato com o alérgeno é a melhor solução para as pessoas que sofrem de doenças alérgicas. No entanto, na maioria dos casos, é impossível de alcançar o que causa uma série de problemas e limitações.

Assim, em vez de fazer tratamentos pontuais, vale a pena considerar o tratamento de dessensibilização.

Basicamente, a imunoterapia (imunoterapia de alérgeno), então dessensibilização, é a administração de uma vacina que contém o alérgeno ao qual o paciente é alérgico. Pequenas injeções regulares durante um determinado período de tempo fazem com que o organismo não combate os alérgenos e, como resultado, começa a eliminar sintomas incômodos ou reduzir a sua intensidade.


Para quem dessensibilização?

Quanto as faixas etárias, convencionalmente assume-se que a imunoterapia pode beneficiar pacientes com idade entre 5 e 45 anos. Determinação do limite superior de idade é bastante individual e é dependente de outras doenças das quais sofre o doente que quer fazer o tratamento. Contraindicação em pessoas mais velhas pode ser, por exemplo, doença coronária, hipertensão e aterosclerose.

Deve-se ter em mente que a dessensibilização é um processo longo. Geralmente demora de 3 a até 5 anos. Nesta altura, recebemos o alérgeno, sob a forma de uma vacina a cada 4-6 semanas (dose de manutenção), com exceção do período de tratamento inicial, quando a vacina é administrada em doses mais elevadas e com maior frequência - cada 7-14 dias durante 2-3 meses.

A eficácia do tratamento

Mesmo assim, não há certeza, de que a dessensibilização vai eliminar completamente o problema das alergias e, como pacientes não devemos agarrar-se esta visão. Também pode ser que o tratamento só vai reduzir a intensidade dos sintomas e da resposta ao alérgeno. Neste caso, é necessário continuar a utilizar drogas antialérgicas habituais, embora em doses mais pequenas. O tratamento habitualmente não é muito eficaz em pacientes com a forma grave de alergia ou naqueles que são alérgicos a múltiplos alérgenos. Tudo depende da predisposição individual e um número de fatores que são avaliados pelo especialista.

O tratamento deve ser precedido com exames minuciosos adicionais (por exemplo, testes cutâneos, uma análise cuidadosa dos sintomas do paciente), para que o médico possa qualificar o paciente para tratamento posterior. É necessário identificar com precisão o alérgeno sensibilizante, e qual é a medida em que uma pessoa está exposta a funcionamento e quão forte são os sintomas. Igualmente importante é também identificar possíveis contra-indicações.

Existe dessensibilização sazonal, adequada para pacientes alérgicos aos alérgenos sazonais (pólen) e terapia durante todo o ano para as pessoas que entram em contato com o alérgeno durante o tempo todo (pêlos de animais, ácaros do pó).